quinta-feira, 28 de maio de 2009

Cinzas como o paraíso.

Os pés calçados com chinelos simples passavam um na frente do outro de maneira regular, empurrando para frente aquele corpo de mente tão distante. As pernas estavam gratas pelo conforto oferecido pela calça, bem como a cintura. A camiseta era larga, deixando os braços livres para ajudarem no impulso do resto do corpo. O cabelo ia jogado de lado, sem merecer grande preocupação. O peito ia aberto, assim como as costas iam com boa postura.
As íris estavam cinzentas, imitando a cor do céu que tanto observavam, e as pupilas excessivamente diminutas. O rosto mantinha uma expressão de indiferença constante, embora por dentro seus extremos mais opostos travassem uma batalha sangrenta.
Foi quando um rapaz qualquer passou por ela pensando alto demais que jamais vira olhos tão envolventes e densos como os dela. Aquilo a tirou dos devaneios e a fez sentir raiva dele por hora. Apenas pelo fato de ter se admirado com um simples par de olhos.
Depois disso, o que sentiu foi uma certa raiva de si própria. Pela Deusa, como ela se dava ao luxo de andar por ai exibindo tamanha e tão sobrenatural beleza aos olhos de meros humanos? Não mereciam aquilo...

Ps.: be careful, Dimitra.
Natália Albertini.

Um comentário:

P. disse...

afe mano, me ensina escreve! Conheço uma mina que cahma Dimitra :D, deve ser a msm pessoa...n eh mto facil acha gente com esse nome né Nanats, BATA!

kisscallme /byObama