sexta-feira, 18 de junho de 2010

Maratona.

Mais rápida que uma maratonista, eu me vestia.
Enquanto deambulava pelo quarto, pondo e tirando peças de roupa, jogava o que encontrava de útil pelo caminho dentro de minha bolsa.
Saltitei ao espelho com o tubo de rímel na mão e agilmente destaquei meus cílios.
Com uma última olhada ao meu reflexo, pouco me importando com os cachos ainda úmidos e com uma das alças da blusa escorregando pelo ombro, apressei-me em jogar meu chaveiro de caveira dentro dum compartimento menor de minha bolsa.
Foi quando meus olhos se depararam com um objeto surpresa.
Fui obrigada a sair daquele frenesi de pressa em que me meto todos os dias e parar por um instante.
Ofegantes, meus dedos foram de encontro àquela pequena peça metálica, trazend-a mais perto de meus olhos.
Uma tampinha de Heineken escondida em minha bolsa.
Fui arremessada de volta ao dia da caça à Heineken.
Meus caninos, arremessados novamente contra sua carne.
Sorri de canto, divertida.

Ps.: já ganhei, beijos.
Natália Albertini.

2 comentários:

Loiro disse...

ganhou? ... uma marca de dente!

Conversa Miúda disse...

Interessante como você pega um pequeno momento, e transforma em um coisa grandiosa!

Adoro as suas crônincas!


Beijos.