quinta-feira, 16 de junho de 2016

Raia.

Azul claro.
Azul claro, mas a faixa, no meio da raia, era quase roxa.

Um, dois, três, quatro, cinco e respira.

Um, dois, três, quatro, cinco e respira.
Um, dois - roxo - três, quatro - azul piscina - cinco e respira.
Um, dois - roxo escuro? - três, quatro - azul escuro!

Uma lâmpada, lá em cima, estourou.

Algumas faíscas caíram na piscina.
Metade dela ficou desiluminada.

Parou de nadar e afundou o corpo um pouco.

Olhou em frente.
Azul escuro e cinza. No light.
A água esfriou e o ar já tinha deixado completamente seus pulmões. 
Bateu as pernas desesperadas à frente, tentando se impulsionar no sentido contrário em que vinha.
Rápido, rápido, bate perna, bate perna, nada!!
NADA?!
Tentou alcançar a superfície da água. Via o reflexo distorcido do professor conversando com um outro aluno.
Tentou gritar, mas só bolhas saíram.

Dedos. Dedos muito, muito gelados e viscoso em sua canela direita.

Adeus.

Nenhum comentário: