sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Vai, vida, mas não esquece de voltar depois.

Acho divertido pensar que ainda hoje de manhã eu estava com bolhas e vergões espalhados por todo o meu corpo enquanto tomava injeções, soro e me apaixonava pelo médico; e mais tarde já estava super bem, fantasiando a noite do dia sete de março, me olhando no espelho da loja com o vestido verde de vampira (segundo Fefê).
E é desse balanço, desse vai-e-vem, dessas ondas, desse oceano da vida que eu gosto.

Natália Albertini.

Nenhum comentário: