sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Caixinhas, caixinhas, minhas caixinhas.

Recostou-se numa parede e revirou o cabelo de qualquer forma, só para tirá-lo do rosto. As pernas não conseguiam parar de se mover ao ritmo do reggaeton no último volume.
Apoiou as mãos na cintura e depois as passou à nuca, pendurando-as ali. Varreu quase que toda a casa noturna com seus olhos então acinzentados.
Viu um grupo de amigos recém-feitos dançando, viu argentinos pulando, cantando e bebendo. Viu os lasers indo e vindo pelo ambiente, iluminando uns e outros, tornando os olhares felinos. Bem, alguns até mesmo lupinos...
Viu e ouviu tudo aquilo e tentou ao máximo arquivar até os mínimos detalhes em seu departamento de memórias agradáveis.
Se pudesse, guardaria tudo aquilo numa caixinha vermelha com um laço branco. E quando sentisse vontade de voltar, era só desfazer o laço, abrir a caixinha e, tum, pular ali dentro.
Numa fisgada pesada, percebeu que não estava mais na festa tão animada, mas, sim, em casa, em sua própria cama. Droga, estava sonhando de novo... Que saudades de tudo...
Se virou na cama e afogou o rosto no travesseiro, esticando os braços. Os dedos tocaram uma superfície dura e lisa. Estranhando o fato, sentou-se na cama e olhou para o colchão. Só então deu-se por conta de que não estava deitada de fato num colchão, mas, sim, sobre milhões e milhões de caixinhas vermelhas com laços de cores diversificadas.
Arregalou os olhos e avistou uma com um laço branco. Gananciosa, esticou a mão direita para alcançá-la. Assim que o fez, desamarrou o laço e jogou longe a tampinha vermelha. Enxergou somente algumas luzes fluorescentes. Sem hesitar, mergulhou ali dentro.
Infelizmente, acabou por descobrir que a fluorescência vinha da luz de seu próprio quarto. Sua irmã havia acendido para procurar algo que perdera no meio da noite.
Bufou e revirou-se na cama, desta vez em seu próprio colchão, quase implorando ao subconsciente para trazer de volta as caixinhas.

Ps.: nossa, oi, o que é isso? Sei lá, só fui escrevendo enquanto cantarolava Hasta Abajo Papi e Descontrolado! xD
Ps2.: oooooo saudaaaaaaades! :S
Natália Albertini.

Nenhum comentário: