sábado, 28 de agosto de 2010

Lost wings.

Eu aqui passando as fotos do dia de hoje, clicando vagarosamente nas setas do teclado.
Abro a pasta de todas as fotos depositadas na câmera, decido ver as do último Natal, já que a primeira delas parece tão feliz.
De repente, um murro em minha cara, me enchendo a boca de sangue.
Uma foto da tia ao seu lado.
Você, atrás dos seus óculos, com sua camisa listrada e sua blusa de lã por cima, sentado no seu lugar de patriarca da casa tão costumeiro.
E a tia ali, ao seu lado, como sempre.
Você sorri com os olhos e com os lábios, e tem as mãos entrelaçadas, como bem as lembro.
Um chute em minhas costas, me empurrando abismo abaixo.
Recordações e pesares rodando em minha mente.
Eu caindo.
Inconformada, tento entender que você, nunca mais. Que sua casa, talvez, nunca mais. Mas nada disso faz sentido, nada disso tem a ousadia de tomar forma em minha mente.
Nada.
Nunca.
Eu caindo.
Vontade de pegar o cortador de unhas, te fazer sentar à varanda, tirar seus chinelos e lhe cortar as longas unhas.
Vontade de passar meu indicador sobre sua unha rachada do polegar esquerdo.
Vontade de você aqui mais uma vez.
Pra sempre.
Meu maxilar esfarelado, meus olhos mutilados.
E eu caindo nesse abismo pleonasticamente infinito.
E sua luz ficando cada vez mais e mais longe.
E eu caindo nesse abismo, sem saber como voar sem você pra ser minhas asas.
E esse monstrinho dentro de mim, de unhas compridas e dentes afiados, que me rasga lentamente de dentro pra fora, sugando meu sangue e minhas forças.
E eu vendo a ponta de uma de suas unhas cutucando minha barriga.
E eu caindo nesse abismo.

Ps.: I'm so sorry, I swore I'd write this without sharing a tear, but it's just impossible. I miss you so fucking much...
Natália Albertini.

Um comentário:

Lustosa disse...

Você tem melhorado... mto bom