domingo, 22 de agosto de 2010

Meus lânguidos azulejos.

O astro-rei lambia languidamente os azulejos vermelhos do chão.
As quatro meninas sentavam-se ali, rodeadas por sorrisos e memórias poeirentas.
Uma de óculos e anel, outra de rasteirinha e regata branca, outra de chinelo e franja abrangente, e uma outra de unhas douradas e bermuda.
A névoa de domingo à tarde as rondava.
A parede imperfeita servia de apoio para aquelas colunas ainda não inteiramente estruturadas.
Falavam e riam, calavam e sorriam.
Externa e internamente.
Sorrisos de almas velhas em corpos jovens.
Memórias de almas jovens em corpos velhos.
Não precisavam sequer se tocarem para se darem por conta da conexão ali presente, tão palpável.
Mais um domingo à tarde, depois do almoço.
Mais um.
Mais.
E mais.

Natália Albertini.

Um comentário:

Tama ors disse...

Adoro nossos domingos...adoro qdo estamos reunidas...adoro poder fazer parte desse laço eterno q nos une!

Helô