segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Party everyday. Pa-pa-pa-party everyday!

As estrelas tinham desaparecido há muito, mas o céu ainda tinha certo brilho.
Camila olhou para cima e viu os prateados pontos, que mais pareciam segmentos de reta, caindo, umedecendo seu rosto e seus cabelos, bem como as vestes.
As pernas estavam frescas, mergulhadas na água, enquanto os braços, apoiados atrás do corpo, sentado na borda da piscina, estavam levemente sendo aguados pela chuva.
A música continuava alta lá atrás, os corpos dentro da piscina continuavam se movimentando de acordo com o ritmo, as luzes coloridas continuavam rondando o ambiente e ela continuava com um sorriso de canto.
Um par de pés se aproximou, experimentou a água, mergulhou nela.
Ao seu lado se sentou Vinicius. Ele a olhou, ofereceu-lhe um copo de conteúdo colorido, e, quando ela rejeito, simpaticamente, ele mesmo tomou um gole da bebida.
- Não quis entrar? - a voz dele era melódica, embora por vezes desafinada.
- Por que entraria?
- Ah, sei lá... A chuva... Quase todas as meninas entraram.
- Ah...por isso? Não, eu adoro a chuva. E não me preocupo tanto com o cabelo - riu de leve, e ele a acompanhou.
- Puta festa, hein?
- Sim... bela festa.
- Acho que é disso que mais vou me lembrar mais tarde.
- Mais tarde? Daqui umas duas horas, diria?
Ele riu, apreciou seu senso de humor.
- Ah, você me entendeu.
- Claro... Foi só uma piada infame. Vou me lembrar bem disso também.
Ela o olhou, sentindo o que estava por vir. Mas antes de permiti-lo beijá-la, olhou ao redor, apreciando a piscina em movimento, a chuva molhando as cadeiras tombadas, os copos espalhados ao chão, lá dentro, as meninas só de biquíni dançando sobre as mesas, e os meninos abobalhados.
Abriu ainda mais o sorriso, dando-se conta de quão babaca e...adolescente era aquilo tudo, mas ao mesmo tempo, de como a entretia, e de como jamais abriria mão daquelas comemorações com seus amigos.
Ele por fim tentou um movimento e ela, como estava com os reflexos mais lentos que o normal, deixou-se levar.
Não se arrependeria mais tarde, não acordaria machucada.
Isso é, exceto seu fígado...

Ps.: saudades das nossas festas.
Natália Albertini.

Nenhum comentário: